Deutschland online bookmaker http://artbetting.de/bet365/ 100% Bonus.

Alunos da Universidade de Santiago recebem palestra sobre “Atitude Coach”

Hoje, 22 de Novembro, a Mestre e Coach Rosa Moniz esteve durante duas horas numa conversa interactiva com os discentes da Universidade de Santiago, sobre a “Atitude Coach”. 

Moniz começou por falar sobre o Coaching, que segundo ela “é uma ferramenta que ajuda-nos a pegar as características que temos e usá-las da melhor forma”. Aproveitou para salientar que não existe característica certa ou errada, mas depende da forma que usamos cada característica para atingir o nosso objectivo, se é a favor ou um obstáculo.

Nesta linha, desafiou a plateia a “pensar fora da caixa”, ver mais além do que aquilo que parece ser e, segundo a palestrante, o problema que muitas vezes enfrentamos e que não nos deixa sair da caixa é o “medo de errar”. “Se pensarmos que uma coisa é impossível, ela torna-se impossível mesmo, porque não vamos conseguir pensar fora da caixa e ver outras soluções. Então o segredo é tentar, errar e até acertar, mas nunca pensar na hipótese de ser impossível”, adianta Moniz.

Rosa Moniz aconselhou os presentes a não se acomodarem: “se estão satisfeitos, lutem porque conseguem ser mais ainda, basta determinarem pontos. Estou no ponto A e quero chegar no ponto B para sentir mais satisfeito ainda”.

Moniz fez uma pequena apresentação de como a nossa consciência funciona, começando por aquilo que sentimos agora, passando para as nossas escolhas, chamando atenção de que nenhuma escolha não é em vão, mas sim, são baseadas nos valores, que por sua vez são definidos pelas crenças que também surgem das paradigmas. E para avançarmos e atingir um objectivo, Moniz realça que é preciso usar a metodologia do coaching e ter novas atitudes.

“Só conseguimos avançar quando assumimos a nossa responsabilidade e acreditar que tudo o que queremos está nas nossas mãos. Assumir os compromissos, agir, aceitar que não existem verdades absolutas”. Normalmente, o primeiro passo em qualquer decisão, muitas vezes parece ser o mais difícil para todos nós e a palestrante deixou algumas dicas: “seguir a pirâmide do sucesso. Dividir o problema ou objectivo em três partes, dividir cada uma das três partes em outras três partes e depois decidir por onde começar. Ao chegar ao final vão ver que o primeiro passo não era tão difícil assim”, explica.

Depois de vários exercícios e apresentação de alguns vídeos a coach deixou uma frase: “Nunca diga que eu não consigo. Eu quero, eu posso, eu vou adiante”.

“É importante alertar para poder informar e capacitar as mulheres, para que haja o empoderamento da mulher cabo-verdiana”

Transição para a Parentalidade: respostas emocionais da mulher puérpera” é o tema da Palestra realizada esta segunda-feira, 20 de Novembro, na Universidade de Santiago, em parceria com o Instituto Politécnico de Leiria (IPL). O evento, que superou as expectativas da organização, esteve a cargo da Professora Doutora Sónia Ramalho.

“A saúde é o completo bem-estar”, ou seja, é o bem-estar físico e psicológico. Depois do parto, muitas mulheres sofrem do chamado baby blues, momento em que as mães vivenciam um sentimento de tristeza e melancolia. Contudo, se estas não forem acompanhadas, a situação agrava-se e passa pela depressão pós-parto.

 De acordo com a palestrante “a falta da cultura do aleitamento e a cultura familiar de apoio social” estão entre os factores desta turbulência emocional. O que leva ao isolamento, insegurança e muitas vezes a incapacidade de cuidar do bebe.

Tendo em conta que este tema é tabu na sociedade, a professora realça o papel da universidade na sensibilização para o empoderamento da mulher cabo-verdiana. “Em termos de Cabo Verde, é culturalmente não falado, é tema mito e tabu; portanto, é importante alertar para poder informar e capacitar as mulheres, para que haja o empoderamento da mulher cabo-verdiana, ou seja, que ela seja capaz de tomar as suas decisões de forma fundamentada”.

Tendo em conta que mãe deprimida tem o sentimento do afastamento do bebe, Sónia Ramalho diz que é preciso estar atento aos sintomas desta turbulência emocional para que estas mulheres possam ser atendidas, por isso, alerta para a necessidade de “criar na mulher a motivação de cuidar e amamentar o bebé”.

Este tema alerta aos futuros Enfermeiros da US sobre os cuidados que poderão ter com as mães puérperas. Por isso, a Chefe do Departamento de Ciências da Saúde, Ambiente e Tecnologias, Marcília Fernandes, assegurou que é necessário “não só tratar da parte física do procedimento de intervenções de enfermagem, mas também do lado emocional tendo em conta o desgaste e o stress que a mãe poderá passar neste período tão importante e sensível da sua vida.”

Durante a apresentação, a palestrante mostrou a plataforma onde todos podem tirar dúvidas e deixar o seu contributo. Esta plataforma, criada para a população portuguesa, mas extensiva a Cabo Verde, irá precisar de adaptações à realidade do país.

 “A nossa expectativa é que a população cabo-verdiana, principalmente os estudantes, aceda a esta plataforma e ajude a divulgar as informações que lá estão”, frisou Marcília Fernandes.

Depois do parto, a grande maioria das mulheres experimenta o sentimento de tristeza e melancolia nas duas primeiras semanas. É o chamado blues puerperal. Mas é um sentimento que poderá ir embora sozinho. Já no caso da depressão pós-parto, a tristeza e a falta de energia não melhoram conforme o tempo passa. É importante que a mulher ou a família reconheçam logo a depressão, para que ela receba o apoio e o tratamento necessários. Sem tratamento, a depressão poderá durar meses e até anos.

Universidade de Santiago acolhe a 7ª edição da Semana Global do Empreendedorismo

 

A Universidade e Santiago acolheu, esta segunda-feira, 13 de Novembro, a Abertura da 7ª edição da Semana Global do Empreendedorismo. O evento que tem como lema para este ano “Restart-Renovando o Sonho” foi presidido pelo Ministro da Presidência do Conselho de Ministros e Assuntos Parlamentares, Dr. Fernando Elísio Freire.

 Durante a cerimónia da abertura, o representante do governo realçou que o governo tem reunido condições no sentido de facilitar o desenvolvimento do empreendedorismo.

“As acções começam pela determinação e pela forma como o governo se relaciona com o sector privado. Nós consideramos que todas as empresas são importantes, as micro, as médias, e as grandes empresas e aquelas que querem internacionalizar-se. Por isso, já disponibilizámos cerca de cinco milhões de contos para ajudar no processo da promoção empresarial.”, afirmou o governante.

Além disso, e para a concretização de um “sonho”, o Ministro assegurou que o Governo já passou um conjunto de competências para as câmaras de comércio, para as instituições de micro-finanças, incubadoras e associações empresariais no sentido de agilizar a tomada da decisão.

Freire realçou a importância da abertura deste evento na Universidade, assegurando que a Universidade está ligada a tudo aquilo que um empreendedor precisa. “Ligar a universidade com políticas públicas do empreendedorismo é muito importante pois a educação tem um papel muito importante no sucesso da política empreendedora do governo”.

Por sua vez, o presidente da Associação dos Empresários de Cabo verde (AJEC), Paulo Cabral, disse que esta organização “não quer um empreendedorismo de sobrevivência”, mas sim de “inovação e de ambição”. Cabral pediu, ainda, mudanças nas políticas do sector, tendo, igualmente, apelado aos empreendedores para deixarem as palavras e começarem a agir.

De salientar que este será o 8º ano que Cabo Verde se associa a esta iniciativa mundial, que há 5 anos foi institucionalizada pelo governo como a Semana Nacional do Empreendedorismo. Entretanto, a organização pretende chegar a mais de 20 mil participantes com cerca de 150 actividades em todas as ilhas do país. O evento contou com a presença do Magnífico Reitor da US, bem como dos presidentes do Instituto de Apoio e Promoção Empresarial (Pró-Empresa) e do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP).

Projeto Transição Para a Parentalidade 'Voa' até Cabo-Verde

O Projeto Transição Para a Parentalidade 'Voa' até Cabo Verde, como um serviço à comunidade cabo-verdiana, com o objetivo de ajudar mulheres, mães e famílias cabo-verdianas.

Através desta plataforma online, as mulheres e famílias poderão aceder a informação no domínio da transição para a parentalidade, como também colocarem dúvidas e questões que serão respondidas por investigadores e docentes especialistas em Enfermagem de Saúde Materna e Obstétrica da Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Leiria - Portugal, em articulação com docentes da Universidade de Santiago - Cabo Verde.

Para além desta plataforma, a Esslei desenvolverá mais dois projetos de investigação transfronteiriços com a Universidade de Santiago em Cabo Verde, no domínio da saúde dos jovens e da saúde da mulher, que se iniciaram este mês de Novembro, com a deslocação da Professora Doutora Sónia Ramalho à Universidade de Santiago.

+INFO : http://transicao-para-a-parentalidade.webnode.pt/

VIH-SIDA 90, 90, 90: tema da II Jornada de Saúde da Região Sanitária de Santiago Norte

Durante dois dias, 10 e 11 de Novembro, agentes da saúde estiveram reunidos na Universidade de Santiago, pensando e refletindo sobre a saúde nesta região, tendo por tema “VIH/SIDA e as novas estratégias 90, 90, 90”.

A II Jornada teve como objetivo criar um espaço de apresentação, discussão e partilha de conhecimentos científicos, sobre uma temática de relevância local, regional, nacional e global, bem como promover e divulgar o conhecimento obtido através da investigação, e o intercâmbio científico e cultural.

A cerimónia de abertura da Jornada foi presidida pelo ministro da Saúde e da Segurança Social, Arlindo do Rosário, que começou por felicitar os responsáveis de saúde da Região Sanitária de Santiago Norte (RSSN) pela iniciativa e organização do evento, assim como do tema sobre o qual se debruçou esta jornada: “VIH/SIDA e as novas estratégias 90, 90, 90”.

Durante o seu discurso de abertura, o ministro fez questão de relembrar que foi a Região Sanitária de Santiago Norte a “pioneira no processo de regionalização em saúde em Cabo Verde”. Não deixou de frisar, em torno do tema da Jornada, que foi aqui em Santiago Norte que dois seropositivos deram a cara, falando da SIDA na primeira pessoa para todo o país. “Na altura, estes acontecimentos foram momentos importantes no processo de luta contra o VIH-SIDA”. Rosário adiantou, ainda, que foi nesta região onde se instituiu, pela primeira vez e oficialmente, a terapia com os anti-retrovirais, nos serviços públicos da saúde.

Segundo o ministro a atual estratégia global 90, 90, 90 traz à tona três pilares: acesso ao diagnóstico precoce; acesso ao tratamento anti-retroviral; e redução da capacidade de transmissão do vírus, por parte de quem já está infectado. Para cumprir os objetivos da estratégia 90, 90, 90, o ministro adiantou, ainda, que é necessário “definir as metas nacionais e municipais, para fechar as brechas existentes”.

O mesmo mostrou-se confiante de que, de acordo com os conteúdos dos temas propostos para serem discutidos na Segunda Jornada da RSSN, vai contribuir de forma decisiva para um salto qualitativo no combate ao VIH-SIDA.

Para o diretor da RSSN, João Baptista Semedo, esta segunda jornada é um momento de partilha de conhecimentos em matéria de combate e enfrentamento ao VIH-SIDA. 
Segundo informações avançadas pelo diretor da RSSN, neste momento a região conta com 339 casos de pessoas com VIH-SIDA e, como estratégia, ele apontou a deteção precoce, para melhor tratar os contagiados, adiantando ainda que todas as grávidas são submetidas ao teste de VIH-SIDA, o que permite rastrear os respetivos companheiros.
Durante estes dois dias, foram debatidos diversos temas, em torno do VIH-SIDA, divididos em oito painéis, e com especialistas de diversos países, partilhando diversas experiências.

Download Template Joomla 3.0 free theme.